quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Saudação ao Brasil

Maria Hermínia Caldas – por ocasião das comemorações dos 200 anos
da chegada de d. João e família ao Brasil.

A Pátria vibra ao som dos clarins e o povo desperta para saudá-la no aniversário dos 186 anos de liberdade, de separação dos laços que uniam o Brasil a Portugal.

Antes colônia, agregada aos destinos da Pátria mãe, caminhou por longos anos sem autonomia política, sem decidir seu próprio destino - 1500 a 1822 - uma história mesclada de sonhos e esperanças, de lutas e decepções, de subserviência e desalento, da lentidão do tempo que tornava distante o desejo da gente brasileira.

E, vindo para o Brasil, D. João VI e a Família Real, trouxeram a esperança de um novo tempo, de uma nova era de um progresso sutil que se agigantaria incontrolável e verdadeiro. Desembarcando a 22 de janeiro de 1808, com a sua família, viu, nesta parte do mundo, um colorido especial, um território promissor e constatou ser o seu povo inteligente, viril e destemido. Deu-lhe todas as oportunidades possíveis criando mecanismos de crescimento econômico, cultural e social. A Abertura dos Portos às Nações Amigas, a criação do Tesouro Nacional, assinatura do alvará permitindo a instalação de manufaturas e indústrias no Brasil, em 1808; instalação da Mesa de Desembargo do Paço e da Consciência e Ordem; criação da Escola Naval e da Casa da Suplicação, no Rio de Janeiro- foram medidas que impulsionaram o progresso e criaram novas expectativas para a Nação Brasileira. Na área da cultura houve a criação da Escola de Belas Artes, o Museu Nacional e o Teatro São João, entre outros empreendimentos.

Em 1821, voltou para Portugal, mas incentivou o filho D. Pedro a assumir o governo do Brasil, o que resultou no brado de “Independência ou Morte” proferido às margens do riacho Ipiranga, em São Paulo, no dia 7 de setembro de 1822. Um governante de grande visão que valorizou a terra e a gente brasileiras e aqui deixou a marca do progresso.

Estes duzentos anos da vinda da Família Real para o Brasil são hoje, analisados, revividos e reconhecidos por todos os filhos deste País alegre e multicolorido, repleto de belezas mil.