sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Publicações

A LAGOA DO FAUNO - livro de Poemas, de Maria da Conceição Ouro Reis foi publicado em 1975, pela Editora Beneditina Ltda. - Salvador Bahia, com 234 páginas.
"...Cantora da beleza e do sofrimento, do humanismo e da liberdade, da natureza com seus encantos, abismos e vibrações, com seu compromisso maternal das estações e da cúpula encantada, Conceição - na construção de seus poemas nos oferece a gênese e a vida da realização poética...” Do prefaciador, escritor e historiador, José Augusto Garcez.


FLAGRANDO A VIDA - De Maria Lígia Madureira Pina, publicado pela Subsecretaria de Cultura e Arte – gráfica Segrase, em 1983 - livro de poemas com 100 páginas.  Poemas, em sua maior parte de cunho social, em que a escritora descreve fatos da vida da humanidade com a precisão de uma teleobjetiva e o sentimento da alma de poeta.




AS FORMIGUINHAS AMIGAS - O texto de Josefina Cardoso Braz, com ilustrações de Fernando Athaide conta a história de duas formiguinhas amigas, uma loura e outra morena. Na apresentação diz: "Essa é uma história verídica e tem como fonte inspiradora Elizabeth Huidekoper, holandesa que viveu com sua família no Brasil, durante 15 anos, no período pós segunda guerra mundial. Ambas as formiguinhas estão vivas e conservam-se amigas separadas pelo espaço físico, porém unidas por um sentimento fraterno digno de ser imitado". Aracaju, 1993.

A MULHER NA HISTÓRIA De Maria Lígia Madureira Pina, impresso pela Segrase em 1994, tem 404 páginas. Trata-se de uma pesquisa que a autora trabalhou durante nove anos sobre as grandes mulheres de várias partes do mundo, através dos séculos. O capítulo sobre as mulheres sergipanas traz à luz as figuras de grandes mulheres sergipanas, de pioneiras, feministas, muitas até então desconhecidas da maioria da população.O livro tem sido usado bastante por pesquisadores, professores e universitários em suas teses acadêmicas.

Primeiro JORNAL da Academia Literária de Vida, em agosto de 1997, tamanho tablóide, com doze páginas, preto e branco, editado pela jornalista Shirley Rocha. Matéria principal traz reportagem sobre a assinatura de contrato entre a Universidade Tiradentes-UNIT e Maria Carmelita Moreira Faria, irmã da artista plástica Rosa Moreira Faria, objetivando a transferência do acervo do Museu de Arte e História Rosa Faria para a UNIT. (veja Homenagem do mês).
"Quem faz a Academia" traça o perfil cada acadêmica. Seções como Biblioteca e Crítica. Tem poesias, crônicas e notícias sobre o meio cultural da cidade complementam a edição. 


O PATINHO BONITINHO -  escrito por Josefina Cardoso Braz conta a estória de um patinho que sendo muito bonitinho, revelou-se muito desobediente ...Tem 18  páginas, ilustrações de Fernando Athayde.Faz parte da coletânea de Josefina sobre estórias para crianças. 






SATÉLITE ESPIÃO – OBSERVA A VIDA NO PLANETA AZUL - De Maria Lígia Madureira Pina, capa Marcos Sérgio Reis. Gráfica Popular com apoio das Organizações Walter Franco, 1998, 116 páginas. Livro de poemas em que se fala de vivência e convivência no Planeta Azul: as alegrias e as amarguras. Mais amarguras do que alegrias.



Segundo JORNAL da Academia Literária de Vida-ALV, tablóide, colorido, 16 páginas, julho/1999 editado pela jornalista Shirley Rocha. Matéria principal dedicada a 'Graziella: A cigarra cabocla". Trata-se de uma homenagem prestada pela Academia Sergipana de Letras à poetisa e declamadora já falecida Graziella Telles Cabral. (Veja Homenagem do mês).
Registra a morte (09/12/1998) de uma das fundadoras da ALV em "Perdemos Leyda Regis". Tem ainda as páginas dos Jovens Poetas, Biblioteca e Mural. O irreverente poeta João Epifânio Lima Campos se destaca abrindo espaço para os homens. 

REVISTA em comemoração aos 10 anos de fundação da Academia.Tamanho A4, 52 páginas, colorida, criação e editoração  de Shirley Rocha, diagramação de Anacleto Junior. Reportagens sobre "Alemães em Maruim" conta quem foi Adolphine Schramm e um estudo sobre " Um mártir da República - Dr. Francisco Antônio Vieira Caldas. Poesias, crônicas, relatos de viagens, comemorações, cartas. "Fazendo uma retrospectiva, pelo que disse e pelo que ficou a dizer observei que a Academia viveu muito bem, o seu primeiro decênio", concluiu Maria Lígia.


LOUVANDO A VIDA - De Yvone Mendonça de Souza, Gráfica Triunfo, 2005, 161 páginas, crônicas sobre educadores sergipanos, distribuídos entre os capítulos: Tributo à adolescência; Tributo aos Mestres; Tributo aos Amigos e Tributo aos políticos.


CASA DE FARINHA e outros escritos - De Cléa Maria Brandão, Gráfica e Editora J. Andrade, 2005, 180 páginas. São discursos, crônicas, ensaios, poesias, perfis... Casa de farinha contém fatos que a autora vivenciou quando criança, no povoado Pedro Gonçalves, da cidade de Marcação, hoje General Maynard, município de Sergipe.

A RELÍQUIA – Contos e Crônicas - De Maria Lígia Madureira Pina. Capa: produção e foto de Shirley Rocha, impressão Infographics, 2008, 150 páginas.Contos, alguns já publicados no Jornal El Sergipense, uns fictícios, escritos quando estudante da Escola Normal, outros escritos em algum momento histórico. As crônicas são voltadas aos fatos mais recentes. 
TRAJETÓRIA DE UMA VIDA De Yvone Mendonça de Souza, capa de Marcos Sérgio B. Reis-Gráfica e Editora Triunfo Ltda, 232 páginas, Aracaju, 2007. Com os subtítulos de Aulas, Crônicas e Discursos o livro traz de maneira peculiar um apanhado de tudo isso que a autora criou, participou e exaltou em algum momento de sua vida.