4- Fundadora - Maria da Conceição Ouro Reis


Cadeira 4 - Fundadora - Maria da Conceição Ouro Reis
Patrona: Maria Rita Soares de Andrade

Maria da Conceição é professora aposentada pelo Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe e Psicanalista atuante. É vice-presidente do Núcleo de Atendimento Psicológico - NAPSI com sede em Salvador/BA e membro fundador do Forum Bahiano de Formação em Psicanálise e Estudos Disciplinares. Professora do curso de Teoria Psicanalítica da UNIGAES (pós-graduação “latu senso”). Fez cursos em Zurich e Paris, também apresentando trabalhos na área de Psicanálise. Tem curso de especialização em Frances e Italiano pela Universidade Federal da Bahia; Extensão em Psicologia pela Faculdade Católica de Filosofia da Bahia; Pós - graduação em Metodologia do Ensino - UFS; Extensão em Teoria Psicanalítica - UFS e Apresentação de papaers no Centre Hospitalier Robert Ballanger - França( 1993-1994-1997 e 1999).
Durante a adolescência publicou na revista UNICA (circulou por mais de vinte anos em Salvador/BA) suas poesias e crônicas. Seu primeiro livro foi A Lagoa do Fauno (poesia), depois, já no Colégio de Aplicação da UFS, Projeto Laboratório de Criação Literária; Redigir Bem ou a Arte de Comunicar-se; EVELINA (primeiro romance, escrito quando tinha 17 anos) e O Executor, de contos. Tem até o momento, 26 livros inéditos, 30 trabalhos de psicanálise e mitologia e em andamento mais três: VIDA - ÁGUA, FOGO, TERRA E AR; Psicanálise humanizada - Ensaio; e Lições da Vovó -Método Camaleão-Crônicas. Tem trabalhos publicados no Jornal A Tarde, Jornal El Sergipense, Jornal da Cidade, Jornais e revistas da Academia Literária de Vida.    
Recebeu pelos serviços prestados ao Magistério diploma de Honra ao Mérito da Associação de Professores Licenciados do Brasil seção Sergipe; título de Educador do Ano, conferido pelo Sindicato dos Professores da Rede Particular de Ensino de Sergipe; diploma de participação no 1º Prêmio Banco Real de Talentos da Maturidade de 1999, 2000/05 e 07; título de Professor Emérito da UFS-2005; Placa comemorativa do 46º aniversário da Secretaria de Educação de Sergipe - 2006, em reconhecimento à capacidade administrativa e serviços prestados à Educação em Sergipe; Placa da Independência da Secretaria de Estado da Educação de Sergipe pelos serviços prestados à Educação; título Educadora Destaque - 2008, conferido pelo Governo do Estado através da Secretaria de Educação; Troféu Falcão de Ouro, entregue na III Bienal do Livro em Itabaiana-2015. Foi homenageada com Menção Honrosa pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult) em 18 de maio de 2017.       



Cadeira 5 - Fundadora - Cléa Maria Brandão de Santana
Patrona: Maria da Conceição Melo Costa

Professora e escritora fez os estudos ginasial e pedagógico no Instituto de Educação Ruy Barbosa. Licenciada pela Faculdade Católica de Filosofia de Sergipe em Geografia e História. Ensinou em vários colégios (particular e estadual) e no Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe. Aposentou-se por tempo de serviço e atualmente dedica-se à pesquisa e à literatura. Escreve artigos, comentários e pareceres técnicos. É membro do Movimento Cultural Antonio Garcia, de apoio à Academia Sergipana de Letras (cadeira n. 5, Patrono Severino Pessoa Uchôa), e foi também do Conselho de Cultura do Estado. Em 2016 foi eleita para A Academia de Letras de Aracaju - ALA.
Considera a obra mais importante de sua autoria o livro “Casa de Farinha e Outros Escritos”, publicado em 2005. Um livro que retrata o dia a dia dos moradores do campo, descrevendo os trabalhos realizados por eles numa casa de farinha. A mão de obra usada, os perigos inerentes ao serviço, as conversas dentro do espaço usado para fazer a farinha são descritos com singeleza e humor. Os outros escritos são reminiscências, passagens da vida, mensagens aos amigos, bastante interessantes. Lançou seu segundo livro em 9 de dezembro de 2013, com o título ANVERSOS, de fundo psico-filosófico, político e sociológico. Em 21 de agosto de 2014 lançou "Rosalvo Queiroz - o ilustrado maruinense" biografia de seu pai.
Recebeu homenagens, entre as quais, Professor do Ano, conferida pelo Sindicato dos Professores da Rede Particular de Ensino e Placa da Independência, conferida pela Secretaria de Estado da Educação pelos serviços prestados à Educação em Sergipe. Tem trabalhos publicados no Jornal El Sergipense, Jornal da Cidade, jornais e revistas da Academia Sergipana de Letras e Academia Literária de Vida. 
                                                               
                                                    

Cadeira 6 -  Josefina Cardoso Braz
Patrona: Etelvina Amália de Siqueira

Escritora e professora, licenciada em Língua Portuguesa e Literatura pela Universidade Federal de Sergipe. Fez Pós - Graduação em Língua Portuguesa-Redação na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Cursou o Seminário de Sistemas Educacionais em Tel - Aviv/Israel, fez curso de Língua Francesa no Centre de Langues a Louvain - la - Neuve/ Bélgica e vários outros ligados à língua portuguesa. Lecionou no Colégio Jackson de Figueiredo e Escola Técnica Federal de Sergipe, de onde é aposentada. Faz parte do Movimento Cultural Antonio Garcia, de apoio a Academia Sergipana de Letras, (cadeira n.19, Patrono Epifânio da Fonseca Dória).
Josefina Cardoso Braz profere palestra sobre literatura infantil em vários colégios da nossa capital. Já publicou os livros: ”As Formiguinhas Amigas”; “O Patinho Bonitinho”; “Cantiga de Ninar” e “Vamos fazer uma brincadeira engraçada?” Tem trabalhos publicados na Revista da Academia Sergipana de Letras.  Uma amizade marcou sua vida. Uma holandesa chamada Elizabeth Huidekoper que viveu com sua família no Brasil durante 15 anos, no período pós - segunda guerra mundial manteve  verdadeira amizade que reuniu as famílias por mais de 40 anos. Esse é o tema do livro “As Formiguinhas Amigas” que serviu para a tese do universitário Aoron Sena Cerqueira Reis, cujo orientador foi o Prof. Dr. Antonio Lindvaldo Sousa. O trabalho apresentado ao Departamento de História da UFS como requisito para conclusão do Curso de Licenciatura Plena de História, recebeu o título de “História, Memória e Sentimentos na Trajetória de Josefina Cardoso Braz”. Atualmente prepara uma edição de crônicas escritas ao longo de sua vida. Entre as várias homenagens que já recebeu destaca Troféu Falcão de Ouro, na III Bienal do Livro em Itabaiana-2015 e o título de Cidadã Sergipana, em 12 de novembro de 2015, entregue na Câmara Municipal pelo vereador Emmanuel Nascimento, seu aluno quando criança, na Escola Técnica de Sergipe. Foi homenageada com Menção Honrosa pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult) em 18 de maio de 2017.