1- Fundadora - Maria Lígia Madureira Pina

Maria Lígia M. Pina
 1925-2014
Patrona - Marieta Telles de Menezes

Maria Lígia vive em função das palavras. Formada em História e Geografia lecionou em diversos colégios da Capital, como Atheneu Sergipense, Instituto Rui Barbosa e Colégio de Aplicação. Já exerceu várias funções no magistério onde inovou todo o trabalho criando peças de teatro, palavras cruzadas e charadas como formas de transmissão de conhecimento quando tudo isso se fazia longe das escolas. Aposentada, ela hoje dedica parte de sua existência à literatura e à Academia Literária de Vida, fundada em 20 de dezembro de 1992.
A poesia e a arte sempre estiveram presentes na sua vida: encenou no Teatro Atheneu a peça “O Ponto Ômega” de sua autoria. Escreveu ainda “O Viajante do Tempo”, “Os Caminhos da Filosofia”, ”Patrícios x Plebeus”, “A Reportagem Espacial”, além de outros, que encenava na própria sala de aula em parceria com os alunos do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Sergipe. Os temas ela ia adaptando ao currículo de cada curso.
Publicou os livros de poesias “Flagrando a Vida” e depois ”Satélite Espião, observa a Vida no Planeta Azul”. Como historiadora, possui trabalhos como “Tudo isso é Brasil” e “História do Brasil (da Colônia à revolução de 1930)” ainda inéditos. Lígia Pina também se destacou na área de pesquisa. É  autora do livro “A Mulher na História” – quando registra mulheres pioneiras, que lutaram para ocupar um lugar de destaque na sociedade, dando luz principalmente, às grandes mulheres sergipanas. A partir daí, esses vultos femininos passaram a servir de tema em teses de mestrado e doutorado nas universidades sergipanas. Este trabalho foi bem recebido e comentado no Circuito Literário Nacional e nas Universidades da Califórnia e Utah, nos Estados Unidos. Em 2008 lançou o livro “A Relíquia, Contos e Crônicas”.
É membro da Academia Sergipana de Letras, cadeira 27, cujo patrono é o educador Manuel Luis de Azevedo; membro do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe e da Associação de Imprensa de Sergipe. Foi homenageada pelo Sindicato dos Professores da Rede Particular de Ensino com o título de Educador do Ano; pelo Rotary Club recebeu a Medalha do Mérito Cultural à Mulher Sergipana. Do Colégio de Aplicação por serviços prestados à Educação; pela Universidade Tiradentes-UNIT, como professora fundadora. Tem placa do Museu de Arte e História Rosa Faria; entrevistada pelo Programa Memória da TV Aperipê; recebeu Medalha do Mérito Cultural Silvio Romero da Academia Sergipana de Letras; Troféu Mulher-Participação da Assembléia Legislativa do Estado; Prêmio EDUCAR/SE; homenageada pela Prefeitura Municipal com a Medalha do Mérito Cultural Inácio Joaquim Barbosa e a Universidade Federal de Sergipe-UFS com o título de Professor Emérito. Em 2005 foi a eleita através pesquisa de opinião, na sexta edição do projeto/Sesc “Mulheres do Século XX”. Em 2009 foi homenageada pela Secretaria de Educação do Estado no Projeto Mulher Séc. XX. Em 2011 recebeu a Medalha do Mérito Jornalístico “Monsenhor Fernandes da Silveira” da Associação Sergipana de Imprensa; e o Troféu O Capital, do Jornal do mesmo nome. Em julho de 2014 recebu do Centro de Imprensa, Rádio, Letras e Artes Plásticas -CIRLAP) o título de "Dama da Maior Expressão Sócio - Cultural e Intelectual em 2013-2014.
__________Maria Lígia faleceu no dia 14 de agosto de 2014, vitima de AVC.



Cadeira 1- Jane Alves Nascimento Moreira de Oliveira


Patrona - Marieta Telles de Menezes

Jane Alves Nascimento Moreira de Oliveira - entrou para a nossa Academia em 2015, ocupando a cadeira n; 01 que pertenceu a fundadora e primeira presidente Maria Lígia Madureira Pina e cuja patrona é Marieta Telles de Menezes. A Doutora Jane possui graduação em Direito pela Universidade Federal de Sergipe - UFS, (1983). Especialização em Direito Público pela Universidade Tiradentes - UNIT (1993). Especialização em Estudos para a Paz e Resolução de Conflitos - Universidade Jaume I de Castellón/Espanha e Universidade Federal de Sergipe (2001). Mestrado Internacional em Estudos para a Paz e Desenvolvimento pela Cátedra UNESCO de Filosofia para la Paz, da Universitat Jaume I de Castellón/Espanha (2008). Doutorado em Ciências Jurídicas e Sociais - Universidad del Museo Social Argentino de Buenos Aires/Argentina (2012). Doutoranda em Direito pela Universidade Nacional de Buenos Aires (desde 2005). 
Atualmente é professora assistente e pesquisadora em Direito e Estudos para a Paz e Resolução de Conflitos – UFS e UNIT. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Civil e Direito do Trabalho.
Faz parte da Academia Sergipana de Letras, através do Movimento Cultural Antônio Garcia Filho - MCAGF, ocupando a Cadeira n. 17, e da Academia Propriaenses de Letras, Artes, Ciências e Desportos - APLCAD, cadeira n. 09. Em 14 de setembro de 2017 tomou posse na cadeira n.11, da Academia Sergipana de Letras.
É detentora de dois títulos de Cidadania, outorgados pela Câmara de Vereadores da Cidade de Aracaju-Sergipe (2006) e pela Câmara de Vereadores da Cidade de Salgado - Sergipe (2005), e da Comenda de Ordem ao Mérito Poeta Mário Jorge, da Universidade Vale do Acaraú, (2004). Recebeu em 2 de dezembro de 2016 o título de Personalidade Destaque pela Sociedade Bíblica do Brasil, seção de Sergipe, no Plenário da Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe, na data alusiva ao Dia da Bíblia e também pelo inicio das comemorações dos 500 anos da Reforma Protestante. 
Tem inúmeros trabalhos acadêmicos publicados em revistas e livros da Universidade Federal de Sergipe e Universidade Tiradentes. Escreve crônicas e poesias. Em 2015 lançou o romance policial, ficção estilo pioneiro na cidade: “A Morte de Dulcídio Lombardi”. 

Cadeira 2 - Marlaine Lopes de Almeida
Patrona: Cesartina Regis de Amorim

Graduada em Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade Federal de Sergipe - UFS. É Mestre em Educação Física pelo Núcleo de Pós-Graduação em Educação pela UFS. É professora da rede estadual de ensino de Sergipe e professora Assistente da Universidade Tiradentes - UNIT.
Autora das produções:Práticas Esportivas em Aracaju no início do Século XX: Um estudo sobre a participação da mulher” (2004) monografia de conclusão de curso - e “Leyda Regis: Reminiscência de formação e atuação profissional” (dissertação de mestrado). Atualmente desenvolve pesquisas sobre a História da Educação Física e Esportes, e História da Educação no Século XVII e XXI.  



Cadeira 3 - Maria Hermínia Caldas
Patrona: Leonor Telles de Menezes

Escritora, professora, memorialista , servindo à rede estadual de educação e particular de ensino há 55 anos. Bacharela e licenciada em Letras Neolatinas fez cursos de atualizações de Língua Portuguesa, Literatura Portuguesa e Brasileira, Curso de Especialização em Currículos e Habilitações Profissionais, Ensino de 2º Grau e Ensino Supletivo. Exerceu cargos como Diretora do Departamento de Educação Média - DEM, Chefe de Divisão de Coordenação Pedagógica do DEM, Diretora da Coordenação Executiva, Sub-cooordenador do Ensino de 2º Grau, Sub-coordenador do Ensino Supletivo, Suplente e Membro do Conselho Estadual de Educação, membro do Conselho Estadual de Entorpecentes, Presidente da Associação dos Professores Licenciados do Brasil - Secção de Sergipe; Presidente da Coordenação de Educação Moral e Cívica de Sergipe, suplente e vice-presidente do Conselho Estadual dos Direitos e Proteção dos Idosos e membro da Academia Literária de Vida. É patrona da Academia Estudantil de Letras de Sergipe. Recebeu muitas homenagens do Ministério da Aeronáutica, Ministério da Marinha, Conselho de Educação do Estado, Capitania dos Portos, Sindicato dos Professores da Rede Particular de Sergipe e vários colégios da rede estadual. Em 2005 foi agraciada com a Medalha do Mérito Cultural Ignácio Barbosa. Em março de 2016 recebeu o título de Cidadã Sergipana da Assembléia Legislativa. 
Maria Hermínia Caldas pesquisou, organizou e editou o livro “Símbolos do Estado de Sergipe”. Todo ano coordena os desfiles do dia 7 de setembro pela Secretaria de Estado da Educação; dentro do COMOCI/SEED ela promoveu palestras, exposições de vultos históricos e personalidades marcantes na educação sergipana; desenvolveu uma pesquisa sobre os nomes colocados em escolas estaduais e professores mais velhos promovendo depois momentos para homenageá-los.
Editou e publicou uma agenda - 2008, enriquecida com  biografias dos membros da Academia e com outras personalidades de destaque nacional. Criou um banco de dados sobre os grandes professores do Estado, com isso, auxiliando vários pesquisadores, escritores e jornalistas que necessitam dessas informações. Seu sonho é condensar e publicar, para que no futuro, se conheça a participação desses professores no universo da educação no Estado. É de sua autoria o Manual de Prática Educativa - Símbolos do Estado de Sergipe; Manual Prático sobre o Uso e Apresentação da Bandeira Brasileira. Ainda inéditos - Caderno de História de Sergipe; Folhas Esvoaçantes (poesias); Contos Infantis (prosa); Molduras (trovas); Conversas e Reflexões (prosa). Em 2015 publicou "Vultos da História da Educação em Sergipe" pesquisa que registra personalidades importantes para a educação e cultura do Estado.